E-book | Introdução Alimentar - Tudo o que você precisa saber + 06 receitas


A Introdução Alimentar do meu filho foi iniciada sem muito conhecimento. Inclusive, a pediatra que ele passava, liberou iniciar a IA aos 5 meses de vida. Eu estava super insegura na época. Lembro de ter falado com ela que muitas vezes achava que ele ficava com fome depois de mamar. Parecia que o leite não estava sendo suficiente sozinho. Eu sentia que precisava de um complemento. Então, a pediatra da época, disseque eu poderia começar dando as frutinhas aos 5 meses. E assim eu fiz.

Não tinha lido tanto sobre o assunto, mas eu sabia que tinha mês certo para começar a IA. Só que não seria ei começando por conta própria. Uma pediatra havia me dado cartão verde para iniciar mesmo fora do tempo. Faria diferente se pudesse? Acho que sim! Naquele momento parecia ser o certo a se fazer pelo cenário. 

Hoje eu tirei um pequeno tempo para falar sobre isso e para deixar um conteúdo de qualidade para você. Seu filho iniciou ou vai iniciar a Introdução Alimentar? 


O meu e-book está aqui para dar o suporte que eu não tive. De bônus ainda deixo 06 receitas que eu fazia para o meu filho quando era bebê (e que ainda faço até hoje).
Um conteúdo informativo, acolhedor e que você vai poder sempre levar para qualquer lugar. Conto segredos valiosos ali. Um exemplo é de como você pode congelar alguns alimentos, ler rótulos e compartilho um aplicativo que vai te ajudar a fugir um pouco dos industrializados na hora de fazer compras no mercado. 

Já pensou em ir ao mercado e ter um aplicativo que auxilia nas suas escolhas? Sempre pensando no melhor para o seu bebê e criança. 

Adquira agora o meu e-book COMPRE AQUI

A mudança que ela precisava

Naquele dia, ela foi até o Starbucks na expectativa de realizar um sonho. Seria o dia dela pegar o seu café, sentar em alguma mesa isolada e ter a reunião que mudaria a sua vida. Aquela era a virada de chave que faltava para começar tudo do zero. A menina de 10 anos atrás sorria copiosamente pela realização do grande sonho. 

Tudo estava muito confuso. Ela não se sentia confortável com a realidade que vivia. A rotina ficou repetitiva, as pessoas não lhe davam mais o mesmo tesão de antes ao estarem por perto, as comidas já não tinham mais a mesma explosão de sabor, as tentativas de ser feliz estavam vagas e os hobbies, que eram legais, agora haviam se tornado chatos. 

A mudança tinha urgência. 

Em menos de 1 hora a reunião já havia acabado, e um novo rumo para a garota havia sido traçado. Ela estava com medo. Sentir medo ao sair da zona de conforto é normal. É um sentimento de libertação de tudo o que precisa ser mudado. Em meio há tantas mentiras vividas, agora seria a hora de viver uma verdade. 

Ela chegou em casa e arrumou suas malas em menos de 15 minutos. Não havia muitos pertences para guardar. Então ela nem precisou se esforçar muito para isso. Começar de novo também significava não levar muitas coisas antigas e comprar tudo outra vez. 

Novo trabalho, novos amores, novos lugares, novos amigos, pessoas indo e vindo e uma nova chance de ser feliz.  

Ela estava pronta para embarcar na maior aventura de sua vida em busca da sua felicidade, amores recíprocos, estabilidade emocional, leveza e realizações. Estava na hora de pegar o seu passaporte, entregar as chaves do apartamento na portaria e correr atrás do seu grande sonho. 

Recipe | Pizza night


Na semana passado o Liam recebeu a segunda proposta de lição de casa do ano. Ainda é uma novidade bem grande ter tarefas para fazer em casa (apesar de não ser todos os dia), mas estamos achando muito legal e divertido.

A proposta da vez foi pesquisar curiosidades sobre a nossa cidade e mostrar isso em forma de desenho, ou usar colagens. Estamos sem impressora, então descartei imprimir qualquer coisa para a lição de casa. Preferi ilustrar a curiosidade com um desenho. Na verdade com dois desenhos.


Você sabia? "São Paulo é a segunda cidade que mais consome pizza no mundo, ficando atrás somente de Nova Iorque. Pasmem: os paulistanos consomem mais de 700 pizzas por minuto, segundo dados do São Paulo Convention & Visitors Bureau! É tanto amor que Sampa acaba de ganhar um pizzaria que promete nunca fechar, a Al Capizza. O lugar funciona de domingo a domingo, durante 24 horas por dia".

Depois disso, Liam disse que queria comer pizza. Só que antes da lição jantamos, então não seria possível comer pizza no mesmo dia. Prometi que no dia seguinte o jantar seria pizza. E assim eu fiz. Não pedi, eu fiz. Inclusive fiz uma pizza que ficou muito boa. Achei a massa extremamente fácil e rápida de fazer. Vou compartilhar aqui no blog. Apenas façam.


Ainda sem acreditar que o ovo usado para a massa de pizza tinha duas gemas. Em anos isso nunca tinha acontecido. Achei super legal!!

A massa de pizza mais fácil e rápida:


Ingredientes:

- 500g de farinha de trigo.
- 1 colher de chá de sal.
- 1 colher de sopa de açúcar. 
- 1 pacote de fermento biológico.
- 1 ovo inteiro.
- 200ml de água (em temperatura ambiente).
- 1 colher de sopa de manteiga.


Modo de fazer:

1. Em um bolw coloque todos os ingredientes secos (a farinha, o açúcar, o sal e o fermento).

2. Após isso, faça um buraco com a colher no meio dessa farinha e coloque o ovo e a manteiga. Misture e vá amassando com uma colher ou com as mãos. Em seguida, coloque água aos poucos e vai amassando.

4. A massa vai estar pronta quando estiver desgrudando das mãos. Se for necessário, coloque mais um pouquinho de farinha ou de água.

5. Não precisa deixar esta massa descansar, é só abrir na forma de pizza, colocar o molho de tomate e levar ao forno (já aquecido) por uns 3 ou 5 minutos, ou até a massa "secar" um pouquinho. Lembra bastante aquelas massas que compramos pronta no mercado.

Caso queira fazer a borda recheada:

Compre aquelas bisnagas de catupiry que vende no mercado.
Ao abrir a massa na forma de pizza, dê o espaço nas bordas de uns 2 dedos e coloque o catupiry em toda a volta. Esta massa que está na ponta (borda) da forma, vire-a, cobrindo o catupiry e cole na outra parte da massa (a que ficou depois do catupiry).
Depois de virar toda a borda, passe o dedo novamente, "colando" as duas partes. Dentro fica alto pois tem o catupiry.
Pincele somente a borda com azeite e espalhe no restante da massa o molho de tomate. É legal também colocar gergelim na borda depois de pincelado o azeite. 
Novamente, leve ao forno (já aquecido) por uns 3 ou 5 minutos (ou até a massa "secar" um pouquinho.


Recheio:

Faça o recheio de sua preferência (doce ou salgado) e leve ao forno até derreter o queijo.
Apesar de lembrar muito a massa que vende no mercado, a feita em casa tem um super diferencial: não ficar dura. Sem contar o fato de que não tem os conservantes. Vale muito a pena!!! 
Foi a primeira massa de pizza que fiz em casa e realmente deu certo. 

Espero que tenha gostado! Até a próxima.

3 livros que mandei para a escola


O Lili começou na escola e foi pedido três livros para a biblioteca da sala de aula. Na lista de material escolar, colocaram uma vasta lista com sugestões de livros para serem comprados. Eu fui pelos títulos que mais chamaram a minha atenção (confesso), pesquisei como era o livro (bem por cima) e comprei. 

Hoje eu vou compartilhar as minhas escolhas. Inclusive por eu ter encontrado dois deles em PDF para quem quiser imprimir ou ler para o filho como livro digital.



Com recortes e colagens de papéis de revistas e guache, a autora e ilustradora apresenta as dez leis que compõem o código de trânsito do nosso mundinho. O livro, com textos curtos e muita cor, procura despertar a consciência dos pequenos leitores para o respeito e o cumprimento das normas do trânsito, em busca de uma convivência segura e sem acidentes.

Idade Mínima Recomendada: 4 Anos

2. Como o mundo acorda (não encontrei o PDF. Deixei o link para quem quiser comprar).


Este livro ensina o conceito de frações, apresentando com belas ilustrações os cafés da manhã típicos de diversos países do mundo. Um pedaço de bolo, uma fatia de pão simboliza não só uma fração, mas também a alegria de compartilhar comidas deliciosas!

Apesar da turminha do meu filho ter entorno de 4 anos, o livro é recomendado para crianças de 5 ate 8 anos. Mesmo assim estava na lista de opções dos livros da biblioteca da sala. 



O elefantinho cinzento tinha uma dúvida: qual seria a cor do amor? Curioso, perguntou para o avô, para a zebra e para todos os outros animais que encontrava pelo caminho. O dia acabou e o elefantinho cinzento não resolveu a questão. Mas tinha alguém para quem ele ainda não havia perguntado.

Idade sugerida de 3-6 anos.

Ainda estou cogitando comprar os três para a nossa biblioteca de casa. São livros bem coloridos que agregam bastante, na minha opinião. 

Espero que tenha gostado! Até a próxima.